01/12/11

Qual a diferença: iPad 2, Galaxy Tab e Motorola Xoom

Artigos
Comentários




Motorola Xoom

Começando com o Xoom (pronuncia-se “zoom”) é o terceiro tablet a desembarcar no mercado brasileiro. O portátil da Motorola, o primeiro da marca, é um dos principais concorrentes do iPad 2 (ainda indisponível no Brasil) por ter características de hardware parecidas com a do eletrônico da Apple — processador com dois núcleos e câmeras, por exemplo.

Comercializado no país por R$ 1.899 (modelo só com Wi-Fi), o Xoom tem o sistema operacional Honeycomb (Android 3.0), específico para tablets — o aparelho foi o primeiro a vir com essa versão embarcada. Em testes feitos por nós, modelo apenas com Wi-Fi impressionou pela rapidez e facilidade no uso. No entanto, o sistema Android precisa melhorar, e muito, a compatibilidade de aplicativos para a plataforma.

Galaxy Tab 10.1

Agora em se tratando do nosso querido Samsung Galaxy tab 10.1, apesar de ter o mesmo hardware que seus concorrentes consegue se destacar pelo design ultrafino e pelas modificações feitas pela fabricante no sistema operacional, que o tornam mais fácil e agradável de usar.

Entretanto, estas diferenças não são suficientes para justificar o preço. O Galaxy Tab 10.1 com 3G, sem subsídios de operadora, sai por R$ 1.999. É possível comprar um Motorola Xoom 3G, com mais memória interna (32 GB) e câmera melhor (5 MP) por cerca de R$ 100 a menos, e algumas lojas dão o cabo HDMI de brinde. No Galaxy Tab ele custa R$ 139. Claro que o Galaxy Tab 10.1 é mais fino e mais leve, mas a economia pode compensar os 4,3 mm e 165 gramas de diferença.

Este próximo tinha que ser deixado por ultimo, muita coisa para falar ? talvez

Em um ano, o iPad evoluiu. Bastante. Tinha que evoluir, afinal, é assim que as coisas acontecem no mundo tecnológico — e os concorrentes estão multiplicando-se aos montes. Felizmente, para a Apple, muitos ainda não chegam ao chulé do iPad 1G.

Comparado com o iPad de primeira geração, o iPad 2 não é um produto totalmente renovado/revolucionário. Nós procuramos destacar e explicar neste artigo tudo o que mudou de uma geração para a outra, porém, mesmo parecendo ser muita coisa, o iPad 1G continua superatual, útil, bonito e poderoso.

Quem realmente não consegue aceitar/se ver com um aparelho “defasado” e está com grana no bolso não irá pensar duas vezes antes de bater o martelo no iPad 2. Para todos os outros, vale considerar cada um dos aspectos acima e avaliar se eles são mesmo necessários para você — afinal, o iPad 2 ainda nem chegou ao Brasil e, quando isso acontecer, ele custará bem mais que os atuais.

Se você não tem um iPad ainda, a avaliação torna-se mais generalizada: será que uma tablet seria útil para você? Muitos se satisfazem com computadores de mesa (desktops), outros precisam de mobilidade com laptops, alguns só necessitam realiza as tarefas rápidas de que smartphones já dão conta. Entre eles, há um espaço para as tablets — será que elas entram no seu dia-a-dia? Algo a se pensar.

TESTE DE RESISTÊNCIA:

Imagem de Amostra do You Tube

 

Leia Também

Compartilhe

1 comentário
  1. 1 Shilikaem 27/2/2012 às 09:51

    O problema dos tablets em geral que vejo são as baterias. Elas não duram como afirmam os vendedores e, é são piores que as do notebook.

Comente
  • obrigatório
  • obrigatório | não será divulgado
  • opicional | sujeito à filtro

RSS

RSS