03/09/08

O Vista é um fracasso? Não necessariamente

Noticias
Comentários




Se você está pensando que o Windows Vista está perdido e que o XP sempre foi o rei da cocada preta, pense de novo.

Vinte e um meses após seu lançamento, o que sabemos sobre o Windows Vista?

Os usuários domésticos o odeiam. E, nas empresas, ele está sendo desinstalado – um indício, segundo a Gartner, de que a linha de produtos Windows, com 23 anos de existência, está sucumbindo sob seu próprio peso.

Enquanto isso, o Windows XP parou de ser fornecido a varejistas e grandes fabricantes de PC no dia 30 de junho. Entretanto, tardiamente, tornou-se tão amado que está atraindo milhares de pedidos para desistir da aposentadoria.

Mas o ódio ao Vista e a nostalgia instantânea pelo XP escondem uma crua realidade estatística: o próprio XP demorou a decolar junto aos usuários – talvez mais do que o Vista até agora.

Em setembro de 2003, 23 meses depois de liberado, o XP rodava em apenas 6,6% dos PCs corporativos nos Estados Unidos e no Canadá, segundo a AssetMetrix, empresa de rastreio de ativos que foi adquirida pela Microsoft posteriormente.

Em comparação, a Forrester Research divulgou que desde o fim de junho -19 meses depois da chegada do Vista para usuários corporativos, em novembro de 2006 – o novo sistema operacional podia ser encontrado em 8,8% dos PCs corporativos mundialmente.

Windows Vista contra XP: Qual é o melhor?

Mas até mesmo o Gartner, profeta do colapso do Windows, prevê que no fim de 2008 o Vista será mais popular do que o XP era, com 28% da base instalada mundial de sistemas operacionais para PC contra 22% para o XP no fim de 2003.

“A aceitação do XP foi mais lenta do que as pessoas se lembram”, diz Michael Cherry, analista da Directions on Microsoft. No início, muitos gerentes de TI “rotularam o XP de um upgrade dedicado ao consumidor”.

Os usuários adoravam o Windows 2000, que ainda não tinha dois anos de existência quando o XP foi lançado. Para muita gente, o XP não motivava a migração. “O XP foi visto como um upgrade glorificado e não um sistema operacional em si”, recorda Donnie Steward, CIO da ACH Foods.

XP e a segurança
Também aconteceram todos os problemas de segurança. O XP agora é considerado extremamente seguro, mas não era assim em 2002.

Foi quando a LifeTime Products atualizou para o sistema operacional depois que a Microsoft liberou o Service Pack 1, seu primeiro update de correção de bugs. John Bowden, CIO da fabricante, afirma que nos anos seguintes à liberação o XP foi muito criticado pela falta de segurança. “Costumávamos dizer que o XP era igual a um queijo suíço, com buracos por toda parte”, diz Bowden.

Para tentar resolver os problemas de segurança, a Microsoft desenvolveu um segundo service pack e incentivou os clientes a adotá-lo. Mas duas coisas aconteceram. Em primeiro lugar, nem todo mundo ficou convencido de que o SP2 seria a cura de todos os males de segurança – uma visão parcialmente absolvida por desenvolvimentos posteriores. Em segundo lugar, o SP2 representou uma mudança tão grande que quebrou muitos aplicativos, principalmente os corporativos.

“Consideramos o XP SP2 um grande release, dada a natureza dos aprimoramentos”, declarou um gerente de TI ao Computerworld em 2004. Tais opiniões levaram muitas empresas a bloquear updates do SP2 em seus PCs durante meses até poderem preparar-se para o enorme upgrade.

Algumas razões mencionadas para o suposto colapso do Vista são exclusivas deste sistema operacional. Os direitos de downgrade estão sendo amplamente exercidos por usuários quem compram PCs com o Vista, mas depois revertem para o XP. O Mac OS X abocanhou market share do Windows no ano passado. Tecnologias de cloud computing oferecem nova concorrência.

E lá no horizonte, 2010, está o sucessor do Vista, que a Microsoft está chamando de Windows 7. Steward e Bowden dizem que provavelmente vão pular o Vista e esperar pelo Windows 7.

Vista tem os mesmos desafios do Windows XP
As primeiras opiniões sobre o Windows XP foram muito próximas às de muitos usuários sobre o Windows Vista hoje.

Uma pesquisa realizada pelo Computerworld com 200 gerentes de TI no segundo semestre de 2001, às vésperas do lançamento do XP, atestou que 53% dos entrevistados não planejavam atualizar seus PCs, enquanto 25% estavam indecisos. “Não migramos para o XP e não temos planos de fazê-lo”, declarou um CIO em 2002. “É um upgrade que nada tem a oferecer a um cliente corporativo.” Para outro gerente de TI, o custo de atualizar para o XP era “alto demais” e não havia um valor evidente em atualizar.

Muitas empresas haviam concluído recentemente ou iniciado a implementação do Windows 2000 quando o XP surgiu, apenas 20 meses depois do antecessor. Poucas pessoas se entusiasmaram com a perspectiva de mais um upgrade, principalmente diante de uma economia enfraquecida após o colapso das empresas ponto.com.

E, embora o XP talvez pareça esbelto comparado ao Vista, na época foi considerado por muitos um corpulento devorador de recursos, que provavelmente retardaria aplicativos em PCs mais antigos.

Em março de 2005, o Windows 2000 ainda rodava em quase metade dos PCs corporativos nos Estados Unidos e no Canadá, de acordo com dados de uso compilados pela empresa de rastreio de ativos AssetMetrix, antes de ser adquirida pela Microsoft.

“O Vista repete a situação com o XP em muitos aspectos”, diz Michael Cherry, analista da Directions on Microsoft.

Mas o Vista também está levando golpes que o XP enfrentou e superou, tais como uma economia cambaleante (o colapso ponto.com, no caso do XP), a crença de que era um “bloatware”, acusações de preço abusivo praticado pela Microsoft e apatia ou revolta de usuários finais.

Para a maioria dos usuários, “mudança é sempre ruim”, observa Merrie Wales, gerente de TI do Condado de Glenn, na Califórnia. Segundo Wales, só uma pequena parcela dos usuários aceitou bem a migração para o Vista no primeiro semestre do ano. Em 2006, uma fatia similar de usuários ficou feliz quando o departamento finalmente atualizou para o XP.

E a implementação do Vista “resultou muito melhor do que prevíamos”, comemora Wales. “Não é um sistema operacional ruim. Ele traz grandes aprimoramentos.”

Leia Também

Compartilhe

4 comentários
  1. 1 Nattyem 3/9/2008 às 11:09

    Espero aprender a gostar mais do vista, mas que eu sinto saudades do xp isso eu sinto!

  2. 2 Bruno Meloem 3/9/2008 às 11:18

    Eu realmente ainda prefiro o XP… mais não odeio o vista. hehe

    Só preciso me familiarizar um pouco mais com ele.

    Blog muito bom!

  3. 3 Michell Nieroem 3/9/2008 às 12:07

    Lembro desse momento. Quando ainda fazia o curso técnico em informática, o XP era visto como um upgrade estético. Todos os professores, em uníssono, colocavam o windows 2000 como superior ao XP.

    Ainda não testei o Vista, pois meu PC não suporta. Aparentemente, ele trouxe algumas readequações importantes ao mundo da internet e implementos para multimídia. Mas, ao que parece, ele não foi desenvolvido para tornar-se uma solução definitiva.

  4. 4 Johnnyem 2/6/2011 às 15:59

    Dois fatos: Não existe nada definitivo no mundo da informatica, e a história provou que o Windows Vista foi mesmo um fracasso de público e de vendas. Um sistema muito pesado e pouco eficiente.

Comente
  • obrigatório
  • obrigatório | não será divulgado
  • opicional | sujeito à filtro

RSS

RSS