18/01/09

Core i7: Vale a pena investir?

Noticias
Comentários




corei7

Nos últimos anos a Intel vem seguindo uma estratégia de lançamentos de produtos que ela batizou de “tick-tock”. É um ciclo que se repete a cada dois anos. No primeiro ano (”tick”) a Intel cria um novo processo de fabricação, aumentando a “densidade” de transistores no chip e melhorando consumo, eficiência etc. No segundo ano (”tock”) é lançada uma nova microarquitetura, ou seja, um processador praticamente novo é colocado no mercado, já que as alterações do “tock” são muito mais profundas.O ano de 2007 foi um ano de “tick”, ou seja, a Intel melhorou o processo de fabricação dos Core 2 Duo e Core 2 Quad atingindo os 45 nm (nanômetros). Em 2008, durante o IDF (Intel Developers Forum), a Intel lançou o Core i7 com uma microarquitetura totalmente nova (lembrem-se do “tock”!). É esse o processador que está chegando às prateleiras dos revendedores no final desse ano. As principais características do Core i7 são as seguintes: 

* É um processador Quadcore (com quatro núcleos) e suporte a “Hyperthreading”. Quem usou Pentium 4 deve lembrar do Hyperthreading. Simplificando: é uma tecnologia faz com que um core (núcleo do processador) “físico” funcione como dois cores “lógicos”. Assim, um Core i7 que é um processador quadcore, funciona como se tivesse 8 (oito!) cores. 
* O Core i7 é um processador que usa um soquete na placa mãe chamado LGA1366 e que tem muito mais contatos que os atual soquete para Core 2 Duo/Quad que é o LGA775. 
* Três níveis de cache L1, L2 e L3. Cada núcleo do Core i7 tem cache L1 de 64 KB e cache L2 de 256 KB. Existe também um cache L3 unificado de 8 MB compartilhado por todos os quatro núcleos. 
* O controlador de memória, que é um chip que faz a comunicação entre a CPU (processador) e a memória RAM agora fica “embutido” no próprio processador. Isso leva a uma implicação muito importante: As placas mãe para o Core i7 não têm mais o “famoso” FSB (Front Side Bus) que é o nome do canal de comunicação entre processador e memória. O Core i7 usa uma nova tecnologia para comunicação com a memória RAM batizada pela Intel de QPI (QuickPath Interconnect). 
* O Core i7 suporta apenas as memória DDR3, ou seja, não vai funcionar com as memórias mais utilizadas atualmente que são as DDR2. As memórias DDR3 poderão funcionar em “single-channel”, “dual-channel” ou ainda “triple-channel”. Neste último caso, o desempenho do Core i7 é maximizado, porém temos que ter, no mínimo três módulos de memória. 
* “Turbo” mode – uma espécie de “overclock” de fábrica criada pela Intel para aumentar o desempenho do processador quando alguns núcleos não estão sendo utilizados. 
* Novas instruções para processamento multimídia (SSE4) foram adicionadas ao processador para aumento de desempenho em jogos e aplicativos gráficos. 
No papel, são mudanças significativas, mas será que vale a pena investir agora num Core i7? Em minha opinião, o acréscimo de desempenho ainda não vale a pena se levarmos em conta o custo. Isto porque para fazer um “upgrade” para Core i7 vamos ter que trocar de placa mãe (atualmente só placas com chipset Intel X58 suportam o processador) e também de memória (a não ser que você já use do tipo DDR3). E esses componentes (além do próprio Core i7) estão bem caros! Em média, uma placa mãe com chipset X58 é de 50 a 80% mais cara que uma para Core 2, e o mesmo acontece com as memórias DDR3. Ainda não pude testar o Core i7, mas pelos resultados em sites internacionais os phenom II, tem o desempenho similar ao core i7. O ganho de desempenho dos core i7 ainda não é significativo.

Leia Também

  • Conheça o “The Museum of Me”:

    Já ouviu falar? não? não sabe o que está perdendo. A Intel nos deixou mais uma vez de cabelo em pé com esse novo “app” […]

  • The Chase Film – A nova campanha da Intel:

    O vídeo “The Chase Film” faz parte da nova campanha da Intel para o novo processador Intel Core i5.

  • Meego: Mais um Rival para o Android:

    O Meego é o novo sistema operacional, baseada em Linux, para dispositivos moveis e netbooks da Nokia feito em parceria com a Intel. Ele surgiu […]

  • i3, i5, i7, Dual Core, Quad Core?:

    Primeiro aprendemos a dominar a linguagem dos 386, 486, aí chegou a era Pentium: Pentium II, Pentium III, Pentium 4, fomos aprendendo a dominar as […]

  • Cursos online gratuitos da Intel com certificado:

    Conhece o Next Generation Center? Lançado em 2002, relançado em 2003 e reformulado em 2009, é uma iniciativa da Intel com o conteúdo desenvolvido pela […]

  • A AMD irá falir?:

    Segundo o Business Insider, a AMD é um bom candidato para a falência. De fato os analistas da companhia recentemente publicaram uma classificação das “grandes” […]

  • Vem aí o substituto do USB: a fibra óptica!:

    A Intel apresentou no IDF, em São Francisco, uma nova tecnologia óptica feita para conectar dispositivos eletrônicos. O substituto do USB, chamado de Light Peak, […]

  • Nvidia afirma que “Core i7 é desperdício de dinheiro”:

    A arquitetura Nehalen da Intel pode ter gerado uma grande quantidade de emoção e elogios, mas pelo jeito a Nvidia não ficou tão impressionada com […]

  • Phenom II X4 supera Core i7:

    A equipe finlandesa conseguiu bater o recorde mundial do 3DMark06 com um equipamento baseado no novo processador da AMD, o Phenom II X4. Eles onseguiram superar em […]

  • Placa mãe para o Core i7 da ASRock:

    A ASRock deverá apresentar brevemente uma nova placa mãe baseada no chipset Intel X58 e destinada aos processadores Core i7.  Depois da X58 SuperComputer, o fabricante mais conhecido pelas suas soluções […]

Compartilhe

3 comentários
  1. 1 Albertoem 24/2/2009 às 08:29

    Mais um consumismo inútil. Deviamos devolver o hardware antigo como forma de pagamento e sermos ecologicamente mais corretos. Uma regra mundial neste sentido já deveria existir.

  2. 2 guiem 17/12/2009 às 20:04

    o core i7 nao tem uma arquitetura nao diferente do quad core so ressebeu um melhoramento

  3. 3 iNotebookem 30/9/2010 às 01:08

    Com certeza vale apena principalmente em notebooks core i7 tem i desepenho muito bom

Comente
  • obrigatório
  • obrigatório | não será divulgado
  • opicional | sujeito à filtro

RSS

RSS