19/09/08

14 Jogos para e futuro do Playstation 2 brilhar

Games
Comentários




As comemorações do oitavo aniversário da PlayStation 2 ainda não terminaram. Na verdade, a procissão ainda vai no adro, como prova esta selecção de títulos de qualidade com lançamento para breve. 

Com um grande número de clássicos disponíveis para a PlayStation 2, é possível que te tenhas esquecido da avalanche de novidades que estão a chegar ao sistema. Com um novo desenho e dezenas de jogos na calha, os próximos 12 meses (e não só) serão tempos excitantes para a PS2. Para fazer jus à sua idade, aqui tens sete magníficas razões que justificam o entusiasmo por este sistema. 

Star Wars: The Force Unleashed 

A Guerra das Estrelas pode ter chegado ao fim no grande ecrã, mas existem ainda muitas histórias por contar, como prova o novo jogo da LucasArts: Star Wars: The Force Unleashed. Pensado como um enorme projecto multimédia que engloba figuras de acção, livros, um jogo de interpretação de papéis e banda desenhada, a acção decorre sete anos após a ascensão do Império Galáctico que testemunhaste em Star Wars: Episódio III – A Vingança dos Sith, assumindo-se como elo de ligação entre este filme e o quarto episódio (A Guerra das Estrelas). 

Os jogadores vestem a pele do aprendiz secreto de Darth Vader, viajando pela galáxia com vista à eliminação dos Jedi sobreviventes. A jogabilidade de acção entronca directamente numa secção da mitologia da série ainda por explorar, concentrando-se em poderes da Força como relâmpagos e telecinese e tornando-os ainda mais radicais, verdadeiramente dignos do Lorde Sith que protagoniza a história. 

Buzz! Junior: Dino Mania 

Os fãs de Buzz! Junior vão andar nas nuvens com esta dose jurássica para a PlayStation 2. Buzz! Junior: Dino Mania incluirá 35 jogos ambientados numa terra de dinossauros, vulcões e charcos de lama fétida. Podem juntar-se um máximo de quatro jogadores na busca pelos ovos Dino, participando num conjunto diversificado de actividades que incluem cavalgar um T-Rex e corridas de kart da Idade da Pedra. 

Buzz! Junior: Dino Mania chega às lojas no início de 2008 e inclui jogabilidade competitiva e um novo modo em equipa (2 contra 2) em dez jogos cooperativos. 

Mercenaries 2: World in Flames 

Depois do lançamento da prequela Mercenaries: Playground of Destruction (2005), a Electronic Arts regressa à liberdade de movimentos no género de acção e aventura (para adultos). Num território devastado pela guerra, cabe-te a ti controlar um bando de mercenários contratados por quem oferecer mais. O jogo decorre na Venezuela, nação sob o jugo de um tirano sedento de poder (Ramon Solano) que despoletou uma crise internacional. A tua missão é entrar no caos, combater ao lado de diferentes facções e tomar as rédeas do conflito — sem nunca perderes de vista o objectivo principal: vingares-te de Solano depois de este ter recusado um pagamento pelo teu trabalho. 

Em Mercenaries 2: World in Flames, a acção é explosiva e destróis cenários a teu bel-prazer. Podes incendiar a vegetação, explodir varandas e derrubar torres com as dezenas de armas à tua disposição. Podes mesmo assaltar veículos como helicópteros de comando, expulsos dos céus à mercê do novo gancho de abordagem. 

Rock Band 

Em 2008, os detentores de uma PlayStation 2 poderão dar asas aos ritmos do rock com Rock Band (Electronic Arts). Este título de música dá a oportunidade a quatro jogadores de simularem um verdadeira banda de rock, com três periféricos em forma de instrumentos (guitarra, baixo e bateria) e as qualidades vocais de um quarto elemento, fazendo corresponder a letra às notas apresentadas no ecrã. 

Rock Band integra 58 faixas reproduzíveis, entre as quais Paranoid (Black Sabbath), Sabotage (Beastie Boys) e I Think I’m Paranoid (Garbage). Os participantes poderão ainda personalizar o cabelo, roupa, estilo, arte corporal – e muito mais! – do seu alter ego. 

The Golden Compass 

A editar no final do ano, The Golden Compass é herdeiro de uma herança notável. O jogo partilha o título com o filme e ambos inspiram-se na série Mundos Paralelos, uma trilogia da autoria de Philip Pullman galardoada com vários prémios. Nesta aventura de acção da Sega, a jovem Lyra Belacqua (ou seja, tu) tenta resgatar o tio e um amigo numa viagem por 13 paisagens mágicas e cenários perigosos. 

Para além dos mini-jogos, quebra-cabeças e inimigos que tens de enfrentar enquanto Lyra, assumes o papel de Pan (o génio protector capaz de se metamorfosear em vários animais), e combates bestas maléficas na pele de Iorek, o urso guerreiro. 

Harvey Birdman: Attorney at Law 

Super-herói reformado que se tornou advogado, Harvey Birdman aterra no próximo ano na PlayStation 2 para nos servir um conceito pessoalíssimo de justiça — algo a que poucos fãs se poderão opor. Nesta aventura pelos meandros legais, os jogadores recolhem provas, apresentam-nas e fazem contra-interrogatórios a testemunhas para provar a inocência do seu cliente, tudo ao jeito bombástico dos desenhos animados com o mesmo nome. 

Adoptando o mesmo elenco e o humor contundente da série, Harvey Birdman: Attorney at Law conta com participações de personagens célebres da Capcom como Guile (Street Fighter II) e promete agradar, não só aos fãs, mas àqueles que procuram jogos diferentes e um pouco… loucos. 

Phantasy Star Universe: Ambition of the Illuminus 

Inaugurando a primeira série de acção e interpretação de papéis com a chancela da Sega, Phantasy Star Universe tem já um nome firmado e Ambition of the Illuminus (a lançar em 2008) pretende manter essa fama. O protagonista (o teu avatar personalizado) tem por missão restaurar a paz no sistema Gurhal, incluindo-se no jogo novas armas, níveis e cidades para expandir o já colossal universo de espadas e magia futuristas. 

Ambition of the Illuminus permite uma maior personalização das personagens; isto significa que podes alterar os seus traços faciais, penteados, fisionomia corporal e vestuário, para além das próprias capacidades e classes. O frenético modo em rede inclui novas salas como o Casino Voloyal (com jogos como roleta e máquinas de jogo) e missões originais para um máximo de seis jogadores. 

extra: 
Need for Speed Undercover 

Need for Speed Undercover é mais um título da série que ficou famosa no mundo inteiro pelo modo ousado de abordar corridas. Modelos esportivos de todos os tipos aparecem em todos os jogos da franquia. A maneira com que a Electronic Arts transformou sonhos automobilísticos de vários jogadores em realidade virtual fez com que milhares de fãs experimentassem alguns games NFS. 

Undercover, por sua vez, enfatiza as perseguições policiais em um mundo atingido fortemente pelo crime internacional. Um sistema forte de missões e muitas opções de corrida fazem com que Undercover seja condecorado como um dos melhores jogos da série. Além disso, a Heroic Driving Engine e os demais modos de jogo tornam a experiência com Undercover algo praticamente inexplicável. 

Além disso, há uma participação ilustre no jogo. Maggie Q, a protagonista de Duro de Matar 4.0 e Missão Impossível III, aparece de maneira fundamental para o desenrolar da trama. Os jogadores são guiados pela estonteante personagem, e com isso há a oportunidade de experimentar os visuais apavorantes e à ótima jogabilidade que Undercover oferece. 

Os 7 magníficos 

Celebra o sétimo aniversário da PlayStation 2 lendo esta análise dos 7 títulos mais significativos lançados até à data nesta plataforma. Afinal de contas, o que é um aniversário sem jogos? 

Ao completar o seu sétimo ano de vida, é natural que a PlayStation 2 se possa orgulhar de um leque de títulos de excelente qualidade. Tanta diversidade poderá dificultar a decisão na altura de comprar um novo jogo. Assim sendo, apresentamos uma lista das sete presenças obrigatórias em qualquer colecção. 

God of War 

O estúdio de Santa Monica da SCEA mergulhou nas profundezas da mitologia grega e criou um jogo que se revelou um dos maiores sucessos de vendas de sempre – um feito digno de nota para a estreia de uma nova propriedade intelectual. Violento e adequado apenas para adultos, God of War é marcado pela atmosfera do mito e da lenda clássicos, sendo protagonizado por um anti-herói que imprime maior seriedade a esta guerra brutal entre os deuses – o seu nome é Kratos, um impiedoso guerreiro espartano. 

De forma fácil e eficaz, God of War combina a exploração, uma mecânica de jogo de luta bem trabalhada e resolução de quebra-cabeças. O resultado é uma experiência visceral mas sempre soberba, especialmente no que diz respeito ao design cuidado dos níveis e ao elegante sistema de batalhas. Em conjunto com a sua sequela, God of War revolucionou o género de aventura de acção, definindo um padrão que já está a ser imitado e que, provavelmente, o continuará a ser. 

Shadow of the Colossus 

Embora a eterna discussão acerca do valor artístico de um jogo de vídeo se mantenha actual, títulos como Shadow of the Colossus são um argumento de peso a favor da indústria – graças às dimensões do seu mundo, à sua magnificência e esplendor. Colocando-nos na pele de um jovem de nome Wander, esta aventura de acção da casa de programação Team Ico explora o tema da moralidade sob a forma de uma missão de localização e confronto contra 16 colossos. À garupa do seu fiel companheiro Argo, Wander participa em batalhas de proporções épicas e é o protagonista de momentos simplesmente emocionantes. 

À semelhança do seu extraordinário predecessor, Ico, Shadow of the Colossus é inovador pelo seu aspecto magnífico mas sóbrio e pela jogabilidade subtil. Maduros sem recorrer demasiado ao sangue e violência, os dois títulos são exemplos perfeitos da evolução dos jogos, quer se considerem uma obra de arte ou não. 

Gran Turismo 3: A-Spec 

Quando se estreou na PlayStation original, Gran Turismo redefiniu o género de condução oferecendo-nos um retrato extraordinariamente realista da modalidade. As sequelas na PlayStation 2, começando com Gran Turismo 3: A-Spec, sublinham esta atenção aos detalhes. Sendo o sonho de qualquer amante da velocidade, o jogo inclui mais de 150 veículos seleccionáveis, física de nível profissional, Inteligência Artificial avançada e um assombroso modo de carreira. 

Gran Turismo 3: A-Spec e o seu sucessor, Gran Turismo 4, granjearam um êxito de vendas e crítica alcançado por apenas uma mão cheia de outros títulos do género. 

Final Fantasy X 

Adaptar uma das mais populares séries de jogos de vídeo à próxima geração não é tarefa fácil. No entanto, a Square Enix esteve à altura das circunstâncias ao criar um jogo de interpretação de papéis aterradoramente empolgante. Em FFX acompanhas um grupo de aventureiros determinados em neutralizar uma força mortal conhecida como “Sin”. Na criação do mundo de Spira, utilizou-se o processador Emotion Engine da PS2, fazendo avançar a série dos cenários totalmente pré-renderizados para áreas em três dimensões. 

Alicerçando-se numa história imortal e em sequências FMV, Final Fantasy X resulta numa experiência cativante a não perder. 

Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty 

O título de acção furtiva Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty (Konami) representou um passo de gigante em direcção ao universo dos valores de produção ao estilo de Hollywood – tudo graças à direcção artística notavelmente dramática e à fantástica banda sonora de Harry Gregson-Williams (“O rochedo”). No coração deste jogo marcadamente cinematográfico encontra-se um thriller de espionagem onde dominam as armas, conspirações, armas, declarações políticas, armas, combate espectacular e, sim, mais armas. 

Apesar de todo o seu aparato e espectacularidade, o enredo de Metal Gear Solid 2 apresenta as características de uma história pós-moderna que se contorce e muda de direcção como uma serpente, transformando-o numa experiência arrebatadora (à semelhança da sua sequela, Metal Gear Solid 3: Snake Eater). 

Kingdom Hearts 

Os jogos com licença não são algo fora do comum. Apesar disso, poucos jogos tinham combinado personagens com licença e um elenco original, até Kingdom Hearts (PlayStation 2) exceder todas as expectativas. A Square Enix associou algumas das criações da Disney mais emblemáticas (como o Pato Donald e o Pateta) a personagens inspiradas no manga/anime (obra da Square Enix), desenvolvendo um jogo de acção e interpretação de papéis memorável e simplesmente encantador, cuja banda sonora e visuais contribuem para a qualidade generalizada. 

Kingdom Hearts inclui participações especiais do Peter Pan ou do Bambi, mas também de Cloud e Sephiroth (Final Fantasy). E como toque final temos os talentos vocais de Haley Joel Osment (O sexto sentido), Hayden Panettiere (Heroes), Sean Astin (O Senhor dos Anéis), entre outras celebridades da cidade das estrelas. 

Grand Theft Auto III 

Grand Theft Auto III (Rockstar Games) deu início a uma nova era de jogos de acção em 3D de final aberto. Ao contrário das entregas anteriores da série, GTAIII abandonou as duas dimensões para explorar o potencial das 3D, tirando o máximo partido do poder da PS2 e proporcionando uma experiência única e impressionante. 

Um título para adultos a adicionar à já vasta gama de software para a PS2, GTAIII alterou a percepção e o processo de criação dos jogos em três dimensões, fundindo diversos géneros num produto totalmente novo. A mecânica de condução é combinada com sequências de acção, distinguindo-se pela riqueza dos pormenores e a liberdade de movimento nas gigantescas cidades do jogo. Embora as sequelas Vice City e San Andreas tenham reforçado este sucesso, Grand Theft Auto III preservou o seu estatuto de jogo definidor da jogabilidade livre.

Leia Também

Compartilhe

2 comentários
  1. 1 biancaem 30/6/2010 às 21:59

    gbioi

  2. 2 jessykaem 8/4/2012 às 11:44

    ta faltando muito jogos boms ai cologa mais como , igo , golde fuor esse e otimo pelomenos vcs cologaram shadow of the coloso tem muito mais

Comente
  • obrigatório
  • obrigatório | não será divulgado
  • opicional | sujeito à filtro

RSS

RSS