01/03/11

Como funciona o vírus de computador?

Artigos, Curiosidades
Comentários




O vírus de computador, funciona como um vírus biologico, com a função de mutiplicar e infectar o sistema por inteiro. Em 1987 os irmãos Basit e Amjad escreverão um programa que foi nomeado de “Brain”. O Vírus Brain documentado como ‘Vírus de Boot’, infectava o setor de incialização do disco rígido, e sua propagação era através de um disquete que ocupava 3k, quando o boot ocorria, ele se transferia para o endereço da memória “0000:7C00h” da Bios que o automaticamente o executava.

http://4.bp.blogspot.com/_itRaWgOx2TE/TH2ZhQWjPLI/AAAAAAAABYA/ck3Ik8KExg4/s1600/Virus.jpg

Em 1988 surge o primeiro Antivírus, criado por  Denny Yanuar, tinha como objetivo parar o vírus “Brain” assim protegendo o sistema da infecção. Um após isso surgiu mais um vírus chamado de Dark Avenger, mais como não trazia significados relevantes, não foi levado tão a sério. No mesmo ano em 1989 a IBM ou “International Business Machines”, criou o primeiro vírus comercial. No começo de 89 apenas 6% das empresas haviam sido infectadas, no final do mesmo ano o número cresceu para 63%.

3 anos depois em 1992 surge o Michelangelo, o primeiro vírus a aparecer na mídia. Com o objetivo de sobre-gravar as unidades do HD, assim criando pastas e arquivos falsos.

Durante os anos foi aparecendo novos softwares mal-intencionados.

Os 10 piores vírus da historia

Melissa

Em 1999 surgiu o “Melissa”, um vírus altamente contagioso e mal-intencionado, que era enviado por email com temas atrativos assim, infectando os computadores, em que havia contato. O vírus assim aberto fazia uma auto-cópia de si mesmo e envia para 50 contatos de quem o recebeu assim, rapidamente infectando dezenas de milhares de computadores. Seu criador foi “David L. Smith”.

ILoveYou

Criado em 2000, nas Filipinas o vírus chegava em forma de Worm, e assim como o Melissa era enviado por email. O vírus era enviado com uma carta de amor, de um suposto admirador secreto assim ao abrir a carta seu computador automaticamente era infectado. O vírus foir criado em Visual Basic.

Klez

O vírus Klez iniciou um novo modo de infecção, o spoofing, que criava um nome realístico no campo De: do e-mail. Criado no final de 2001, ele teve diferentes variações e a infestação durou meses. O worm Klez original se propagava por e-mail e se auto enviava para a lista de contatos do PC infectado. Algumas versões do Klez traziam outros programas prejudiciais que travavam por completo a máquina. Ele agia como um vírus de computador normal, um worm ou um cavalo de Tróia. Outra sofisticação dele era a possibilidade de desativar o software antivírus e se fazer passar por uma ferramenta de remoção de vírus.

Code Red e Code Red II

Um vírus inovador, que procurava pontos vulneráveis no sistema Windows 2000 e NT. O vírus usava como brecha um problema de sobrecarga do buffer, assim o sistema recebia mais informações do que sua capacidade de processamento.

Nimda

Com um nome que significa o inverso de Admin , o Ninma, ficou famosos por invadir servidores assim deixando os mais lentos.

SQL Slammer/Sapphire

Era final do mês de janeiro de 2003 quando uma nova praga para servidores de rede foi detectada. O SQL Slammer/Sapphire causou prejuízos da ordem de 1 bilhão de dólares e foi o responsável por um apagão nos ATMs do Bank of America e até por cancelamento de voos da Continental Airlines, pois impedia passageiros de fazer o check-in. Em apenas 15 minutos de operação, o SQL Slammer/Sapphire já havia infectado metade dos servidores considerados como pilares da internet.

MyDoom

Ou também chamado de Novarg, criava uma porta dos fundos nos PC infectados.Um dos problemas do sistema é que mesmo quando o vírus paravam de funcionar ás brechas que o vírus criavam continuavam ativas.

Sasser e Netsky

Um geek de 17 anos, chamado de Sven Jaschan, programou estes dois programas, que atuavam de forma diferente mais possuíam um código muito similar. O Sasser aproveitava uma vulnerabilidade do Windows. Uma vez instalado, ele procurava endereços de IP aleatórios em busca de outras vítimas. Também corrompia o sistema operacional para dificultar o desligamento do computador e assim interromper a proliferação. Já o Netsky se espalhava por meio de e-mails e redes do Windows. Ele causava um ataque no DoS enquanto o sistema entra em colapso tentando lidar com todo o tráfego da web.
Leap-A/Oompa-A

Todo dono de Mac costuma achar, que está longe de ataques no sistema. Em 2006 foi criado o Leap-A/Oompa-A. O programa diferente da maioria dos vírus não se espalhava ao navegar na internet, mais sim atravéz do iChat, um programa de bate-papo da Apple.

Storm Worm

Ou Tempestade de Worms na lingua portuguesa, tinha como objetivo enviar falsas noticias por email, em nome de sites famosos, assim atraindo a confiança do usuário. O Storm Worm é muito utilizado para criar redes zumbis de Spam.

Estou protegido usando Linux?

Alguns vírus de teste de conceito foram criados, porém, eles são propagados apenas se forem executados como root e não podem se espalhar remotamente, apenas infectar outros arquivos binários na própria máquina (ou disponíveis através do NFS). É possível que sejam desenvolvidos vírus para plataforma Unix, mas até hoje, não há nenhum. Então você pode se sentir seguro.

Então afinal o quê é vírus?

O vírus é basicamente programas de computador que são enviados de forma atrativa aos usuários, assim os enganando. O objetivo do vírus é infectar a maquina, algumas vezes com fins lucrativos de terceiros. Os vírus são desenvolvidos em diversas linguagens como Java, Visual Basic, C, C+, C#, Pascal, LUA, entre outras.

Exite vírus para celulares?

Sim! Os vírus para plataformas móveis estão cada vez mais crescendo, e grande parte deles são enviados atravéz de spam por email ou na instalação de aplicativos.

Então gostou do artigo? Não deixe de comentar!

[Fontes] Wikipedia.com e Info.abril.com.br

Leia Também

Compartilhe

nenhum comentário
    Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!
Comente
  • obrigatório
  • obrigatório | não será divulgado
  • opicional | sujeito à filtro

RSS

RSS